Entenda sua doença

(11) 2506-9053

Higienópolis

telefone

facebook

instagram

youtube

O final da coluna vertebral é formado por cinco vértebras sacrais fundidadas que formam o sacro e três ou quatro vértebras coccigenas fundidas que formam o coccix. No coccix se inserem os músculos glúteos máximo e coccigeo e o ligamento anucoccigeo.

A  cocciodinea é a dor na região do coccix (ver figura 1). Esta dor tipicamente piora ao sentar ou levantar, estando na posição sentada. A cocciodinea é cinco vezes mais comum em mulheres que em homens e eO final da coluna vertebral é formado por cinco vértebras sacrais fundidadas que formam o sacro e três ou quatro vértebras coccigenas fundidas que formam o coccix. No coccix se inserem os músculos glúteos máximo e coccigeo e o ligamento anucoccigeo.

A  cocciodinea é a dor na região do coccix (ver figura 1). Esta dor tipicamente piora ao sentar ou levantar, estando na posição sentada. A cocciodinea é cinco vezes mais comum em mulheres que em homens e em geral ocorre em uma ampla faixa etária, com média de 40 anos de idade. Obesos também tem uma chance maior de desenvolver dor na região devido a mudanças de rotação da pelve que ocorre em virtude da obesidade.

A cocciodinea pode ter varias causas, entre as mais comuns estão traumas ou contusões locais (queda sentado) e no casos das mulheres um parto vaginal difícil pode ser a causa.

Na maior parte dos casos existe uma sub-luxação do coccix associado a uma hipermobilidade visível no rx dinâmico (sentado e em pé). Nos casos em que não há hipermobilidade ou fratura da região o diagnóstico torna-se duvidoso. Então nestes casos pode-se realizar um exame de ressonância magnética da região que pode detectar uma inflamação na região, semelhante a uma bursite. O diagnóstico diferencial inclui cistos pilonidais, degeneração de discos lombares, aracnoidite de nervos sacrais, e tumores da região.

O tratamento deve iniciar com anti-inflamatórios, banhos de assento com agua quente, proteção almofadada para sentar , e fisioterapia com ultrasom e calor profundo. Caso não haja sucesso com este tratamento pode-se realizar infiltrações repetidas com corticóide para alívio dos sintomas. O tratamento com infiltrações tem uma taxa de sucesso de aproximadamente de 60%. Caso haja falha nos tratamentos anteriores pode-se recorrer a ressecção do coccix, tratamento cirúrgico em que parte ou todo coccix é retirada.

Em geral ocorre em uma ampla faixa etária, com média de 40 anos de idade. Obesos também tem uma chance maior de desenvolver dor na região devido a mudanças de rotação da pelve que ocorre em virtude da obesidade.

A cocciodinea pode ter varias causas, entre as mais comuns estão traumas ou contusões locais (queda sentado) e no casos das mulheres um parto vaginal difícil pode ser a causa.

Na maior parte dos casos existe uma sub-luxação do coccix associado a uma hipermobilidade visível no rx dinâmico (sentado e em pé). Nos casos em que não há hipermobilidade ou fratura da região o diagnóstico torna-se duvidoso. Então nestes casos pode-se realizar um exame de ressonância magnética da região que pode detectar uma inflamação na região, semelhante a uma bursite. O diagnóstico diferencial inclui cistos pilonidais, degeneração de discos lombares, aracnoidite de nervos sacrais, e tumores da região.

O tratamento deve iniciar com anti-inflamatórios, banhos de assento com agua quente, proteção almofadada para sentar , e fisioterapia com ultrasom e calor profundo. Caso não haja sucesso com este tratamento pode-se realizar infiltrações repetidas com corticóide para alívio dos sintomas. O tratamento com infiltrações tem uma taxa de sucesso de aproximadamente de 60%. Caso haja falha nos tratamentos anteriores pode-se recorrer a ressecção do coccix, tratamento cirúrgico em que parte ou todo coccix é retirada.

Dúvidas? Entre em contato!

Utilize o formulário de contato para enviar sua dúvida ou obter mais informações.

Dr. Ivan Dias Rocha

CRM: 108.277

- Ortopedia
- Traumatologia
- Cirurgia da Coluna Vertebral

Consultório - Higienópolis

Rua Conselheiro Brotero, 1505 - Conj. 41
Santa Cecília - São Paulo, SP
CEP: 01232-011

(11) 2506-9053