Entenda sua doença

(11) 2506-9053

Higienópolis

telefone

facebook

instagram

youtube

A Osteoporose é uma doença sistêmica que acomete todos os ossos. Ela é caracterizada pela redução da massa óssea e deterioração de sua microarquitetura. A microarquitetura são os pilares de sustentação da estrutura óssea que vão ficando mais frágeis e em menor número com a evolução da doença levando ao enfraquecimento do osso o que  pode levar a fratura dos mesmos. Sendo que 50% das fraturas osteoporóticas ocorrem na coluna.

A massa óssea é a medida da osteoporose e é realizada somente pelo exame de densitometria óssea. Este exame mede a massa óssea na coluna lombar e no colo do femur e compara os resultados obtidos com uma média de indivíduos jovens. Esta comparação leva o resultado para os chamados desvios padrões, que são o quanto este valor obtido se afasta de um valor normal (indivíduos jovens). Se o paciente estiver com valor 2,5 desvio-padrões abaixo desta média então ele terá Osteoporose se estiver entre 2,5 e 1,5 ele terá somente Osteopenia.

A maior parte dos pacientes com osteoporose são mulheres, na verdade são diagnosticados 6x mais mulheres que homens com osteoporose. Os principais fatores de risco para o desenvolvimento da osteoporose em mulheres são: Idade maior que 65 anos, branca, magra, pós menopausa e fumo. O principal fator de risco relacionado aos homens é o fumo.

O tratamento medicamentoso da Osteoporse deve ser realizado através da ingesta de Cálcio e Vitamina D e do uso de Bi-fosfonados. O tratamento físico consiste em realizar atividades físicas regulares e tomar sol pelo menos 15 minutos por dia.

A fratura por osteoporose na coluna é tipicamente uma fratura sem nenhum tipo de trauma envolvido. A paciente em geral queixa-se de dor lombar ou dorsal de intensidade progressiva e muito limitante a qual não melhora com remédios habituais.

O diagnóstico é facilmente feito através de exame radiográfico da coluna em que se observa o colapso vertebral de maior ou menor grau. Em casos muito recentes em que o exame de Rx não apresenta alterações nestes casos pode ser realizar o exame de Ressonância Magnética que ira detectar alterações ainda mais precoces como o edema vertebral.

A fratura por osteoporose da coluna vertebral pode além da dor incapacitante, causar deformidades na coluna que pode ser progressiva ou não e em casos mais dramáticos estar associada a alterações neurológicas.

O principal diagnóstico diferencial destas fraturas são lesões tumorais da coluna, preferencialmente as metástases. Caso haja dúvida no diagnóstico a biopsia da vértebra torna-se fundamental.

O tratamento conservador é a rotina com uma boa taxa de sucesso. O paciente deve ser orientado a permanecer em repouso relativo, deve-se usar analgésicos fortes evitando o uso de anti-inflamatórios e deve-se usar coletes do tipo putti ou jewett dependendo do nível da fratura. O tratamento medicamentoso da osteoporose também é fundamental.

O tratamento cirúrgico esta indicado nos casos em que o paciente permanece com dor mesmo após 6 semanas de tratamento conservador adequado, nos casos em que a deformidade progressiva da coluna em cifose e nos casos de alterações neurógicas.

Entre as técnicas percutâneas utilizadas para este tipo de cirurgia estão a vertebroplastia e a cifoplastia. Ambas consistem naintrodução de uma cânula de maneira percutânea até a região do corpo vertebral fraturado e pelo interior desta cânula a a injeção de cimento ortopédico de rápida consolidação.

A vertebroplastia é uma técnica mais antiga onde há a introdução do cimento ortopédico  menos viscoso com maior pressão, geralmente nos dois terços anteriores da vértebra. (Figura 1)


Figura 1: Fratura de coluna lombar submetida a vertebroplastia ( em preto cimento ortopédico).

A cifoplastia por sua vez é uma técnica mais moderna onde primeiramente é introduzido um balão de ar (técnica mais clássica) que aumenta o espaço dentro do corpo vertebral muitas vezes corrigindo a deformidade causada pela fratura e depois esse balão é retirado para em seguida introduzir o cimento ortopédico. (Figura 2)

Figura 2: A- Vértebra Fraturada, B-Introdução do Balão, C-Insuflado Balão, D-Cavidade Criada e Retirada do Balão.

Nesta técnica o cimento é introduzido com baixa pressão o que previne este cimento de estravar para locais indesejados. (Figura 3)

Figura 3: Vértebra Fraturada ( a esquerda) e Correção de sua Altura após a Cifoplastia ( a direita ).

Os principais riscos relacionados a esta duas técnicas cirúrgicas é o extravasamento de cimento ortopédico para locais indesejados. Este cimento pode ir para frente do corpo vertebral para os lados e inclusive para dentro do canal vertebral onde pode ocasionar até alterações neurológicas.

Dúvidas? Entre em contato!

Utilize o formulário de contato para enviar sua dúvida ou obter mais informações.

Dr. Ivan Dias Rocha

CRM: 108.277

- Ortopedia
- Traumatologia
- Cirurgia da Coluna Vertebral

Consultório - Higienópolis

Rua Conselheiro Brotero, 1505 - Conj. 41
Santa Cecília - São Paulo, SP
CEP: 01232-011

(11) 2506-9053